E-mail

contatof5agencia@gmail.com

WhatsApp

(75) 98834-6881

Itaberaba

Guardas Civis Municipais de Itaberaba passam por avaliação psicológica referente ao uso de arma de fogo.

As turmas são compostas por 13 guardas civis municipais, que devem ser submetidos a dois testes consecutivos, sendo o primeiro voltado especificamente para a parte teórica do exame.

19/07/2019 20h06Atualizado há 4 meses
Por: Portal Bahia Online

A Prefeitura de Itaberaba iniciou, nesta sexta-feira (19), o processo de avaliação psicológica referente ao uso de arma de fogo pelos integrantes da Guarda Civil Municipal (GCM). Hoje, 13 GCMs vão passar pela avaliação que vai ter sequência no próximo mês, com mais agentes.

procedimento é exigido pelo Acordo de Cooperação Técnica (ACT), firmado entre o Departamento de Polícia Federal do Estado da Bahia (DPF/BA) e a Prefeitura de Itaberaba, que determina que a cada dois anos o guarda civil municipal passe pelo exame no sentido de manter o porte de arma de fogo institucional e particular.

O exame é realizado por psicólogos credenciados junto ao Departamento de Polícia Federal (DPF). As exigências necessárias para realização do teste requerem do agente a não ingestão de bebida alcoólica — nas 48h que antecedem a prova, estar bem alimentado e ter um boa noite de sono, de forma a se apresentar para a avaliação bem fisicamente.

As turmas são compostas por 13 guardas civis municipais, que devem ser submetidos a dois testes consecutivos, sendo o primeiro voltado especificamente para a parte teórica do exame, e o segundo composto de entrevista individual, onde é avaliada a capacidade psicológica do agente no tocante ao porte e uso de arma de fogo.

A manutenção do porte de arma da instituição é uma das prioridades da Gestão Cidade de Todos, visto que a GCM é uma corporação que tem o armamento como uma das ferramentas do trabalho de prevenção à violência.

De acordo com o comandante da GCM, Sidevaldo de Oliveira Santana, o agente da GCM de Itaberaba realiza, anualmente, curso de aperfeiçoamento de 80h com disciplinas práticas e teóricas e a cada dois anos o efetivo é submetido a exame psicológico. “A iniciativa é responsável por manter o quadro de agentes de segurança pública da GCM capacitado e apto para atuar na função”, ponderou Sidevaldo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.